quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Viajem a Floripa- Dia 2: Terraza

Festa a fantasia, a mais esperada. Antes da viajem tinha o costume de chama-la de Tereza, achava mais convidativo como fosse uma amiga querida ou algo assim.

Estávamos todos prontos e lindos na porta do hotel. Nos reunimos e tiramos varias fotos. Mascotinha já no 2 dia já era a nossa bestfriend e estava linda demais de Minnie. Ps: dava vontade de aperta-la as vezes de tão fofa. Saudades

Petra estava de anjo negro, Bia de chapeuzinho vermelho, Malu de pirata, Lorrana de marinheira, eu de Esmeralda do Corcunda de Notre Dame, Mayara de não lembro o nome (estava linda demais) , Giovanna de estudante, Marcello de turista e Lucas de Fred. Naquele dia, Pedro não quis ir a festa e ficou no hotel :(

As fantasias de todos estavam muito criativas e originais. Havia alguns que combinaram todas as amigas iguais, como as lideres de torcida e também havia fantasias repetidas. Na fila para o ônibus descobri algo novo da Malu, o desejo de sempre ser original e não usar a mesma roupa que todos, desde então não sabia daquilo e contei que havia outra pessoa com a mesma fantasia de pirata. Sem querer deixei a Malu magoada, mas começamos a conversar com todos vestidos de pirata na fila e as meninas conseguiram anima-la. Acontece, marinheiro, pirata, policial e chapeuzinho vermelho são as fantasias mais encontradas no ramo feminino.

No ônibus sentei ao lado da Beatriz, uma garota que havia ido sozinha para a viajem sem ninguém conhecido, estava de chapeuzinho vermelho e era morena. Tentei ser amiga dela na viajem, depois daquela noite nos falamos outra vez na mesma situação, mas quando nos avistávamos no hotel não nos falávamos e nem um cumprimento.

Ao chegarmos ficamos maravilhados com o local, todo aberto e com design sofisticado e leve. Andamos por um corredor arejado com uma tenda encima, até um painel xadrez preto e branco escrito Terraza em todos os quadradinho e conseguíamos ver a balada. Era uma grande caixa sem a parede esquerda, onde havia uma varanda com mesas ou o lugar onde os "casais" de beijavam. O bar ficava na ponta da entrada e o DJ na outra ponta. Havia algumas cadeiras com mesas interditadas no lado direito. Consegue visualizar o local? Andamos por todo o espaço e ficara difícil visualizar a noite caso não entenda.

Estava totalmente locado, andamos pela pista até ficar perto do DJ e de repente encontrei a Ana e a Gabi durante o caminho. Fiquei com elas naquele momento em diante, mas caso acontecesse alguma coisa avistei que o pessoal estava mais a frente e fiquei tranquila. Gabi estava de Mario versão mulher ou afeminado e a Ana de Minnie, estavam lindas e curtindo ao máximo.

A Bia do ônibus ficou conosco, dançamos adoidado e meio conversando de modo que não atrapalhava a dança. As duas tinham uma sintonia muito legal quando dançavam e faziam passos parecidos de modo inovador parecendo que haviam inventado. Durante o tempo com elas tentei aprender algum dos passos, mas não consegui nada era um jeito especialmente único. Era como um sinal de amigas.

No começo só tocou eletrônica, depois de um tempo tocou musicas um pouco mórbidas e fomos para o final da balada na frente do bar, onde havia bancos proibidos de sentar mais ficamos na quina e no chão. Ana e Bia estavam de salto e sentaram junto com varias garotas. Enquanto houve uma troca do DJ eletrônica para o DJ do funk, fiquei dançando com a Gabi, mas quando começou a tocar 'Malandramente' e outros, Ana se levantava e botava para quebrar com seu gingado.

Enquanto uma dançava outra guardava o lugar na madeira ou todas dançavam e depois tentávamos sentar. Pastilha apareceu com a câmera e tirou fotos nossas sentadas todas juntas. Além da foto do trio de Arlequinas que estavam perfeitamente fantasiadas com a roupa do filme. Uma das fotos foi tirada pelo celular da Forma, pegava os nossos dados pelo código da pulseira para mandar o link por SMS.

Antes de voltar para a pista, o bar estava vazio e aproveitei para pegar o copão com vodca, suco de abacaxi e mais algo. Todos da festa estavam com aqueles copos grandes do tamanho do braço e havia varias cores rosa, amarelo, vermelho, verde e outras. Paguei R$35 e peguei o vermelho. Voltamos para o lugar que estávamos, mas ainda acompanhava o pessoal através da roupa laranja e altura do Lucas, não chegava a ser tão grande deve ter 1,80 no máximo, não queria perde-los de vista. Houve um erro: eu sabia onde estávamos, mas eles não sabiam onde estava. Acontece, estava me divertindo demais e não pensei.

Tocava funk, não gosto, mas requebramos nos 4 na pista, já estava com mais estaço devido as pessoas iam embora. Estava incrível, até beber demais o conteúdo do copo, acabar tropeçando no chão, quebrando o copo e derrubando o pouco que sobrava. Naquele momento já estava um pouco zonza, mas conseguia andar bem e fomos no banheiro.

O banheiro totalmente branco e grande, havia no centro encostado na parece um sofá, a cada lado varias pias e na frente do sofá 2 fileiras de sanitários. Varias meninas estavam no banheiro e o sofá estava lotado. Decidimos ir embora, quando sai do banheiro a Bia e a Malu estavam sentadas no banco na frente do banheiro e viram que já estava andando meio torta. Sorte, naquele momento iria procura-los para avisar e não precisei.

Fique claro, não houve PT, fui para o ônibus consciente sem ajuda, ainda tive de comprar o cartão do quarto e subi pela escada. No dia seguinte não senti nenhuma ressaca, sorte!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

5 Sites de produtos para viciados em series e filmes


Toda vez que encontro alguém viciado nas mesmas series acabamos conversando por horas e criando um amizade bem rápido. Neste momento fico feliz por ser um pontinho no meio de bilhões de fãs.

Series viciam muito rápido e atingem um grande número de pessoas, havendo 3 tipos de fãs: aqueles viciados que procuram milhares de series, aqueles que assistem por modinha e os super viciados que assistem todos os episódios e compram objetos

Após o sucesso da primeira matéria sobre objetos de series, na qual fez sucesso, recebi mensagem de outros links ainda com mais produtos para comprar objetos. Obrigada pelos acessos e veja outros sites:




Onde esta os fãs de The Vampire Diaries e Crepúsculo? Um site cheio dos melhores itens vampirescos, com acessórios das series e objetos de fãs. Quem sempre sonhou ser um vampiro algum dia não precisa ir até a Transilvânia, o site vende bolsa de sangue (haha) e dentes postiços. 



1- Caneca caçador Pokémon 2- Star Wars - Sabres De Luz 3-Star Wars - R2D2 4-Breaking Bad - Danger 5- Star Wars - Leia e Solo 6- Doctor Who - TARDIS

Tomar aquela bebida quentinha na caneca da sua serie favorita não tem preço ou se alguém tem uma coleção de canecas vai ficar louco com este site. O Canecas dos Nerds tem varias canecas incríveis e divertidas de series, animes, filmes, super heróis e muitos mais. Adorei a do Pokémon Go ... não da para resistir

3- Think Geek

1-Pokébola servindo Bowl Set 2- Cauda Twitchy Kitty eletrônico 3-Star Wars Death Star Waffle 4-Twinkling estrelas saia
5-Star Wars Ewok malha com capuz Scarf 6-Super Mario Bros Classic Monopoly 7-Olde Book Messenger Bag
O site tem os objetos mais incríveis, originais e divertidos que já vi na vida, se ganhasse na loteria gastaria tudo neste site. Pareci criança quando entra na loja de brinquedos, as luminárias são incríveis, as camisetas são um sonho, vocês tem que entrar no site e ver tudo agora! Ps: tudo em dolar meus caros...

4- Deu na Telha

1- Crie unicórnios mas não crie expectativas  2-Não cresça. É uma armadilha  3- Miga, sua loca.  4-Ninguém respeita a constituição  5- Não sou obrigada  6- Pokebola- Almofada
O design das camisetas são modernos, com partes de letras de musicas e fases divertidas usadas no dia-a-dia entre os amigos, como "Miga, sua loca!". Além de almofadas de Pokémons.

5- Chico Rei

1-CAMISETA FANTASTIC BEATS 2-CAMISETA PRO DIA NASCER FELIZ 3-CAPA WOLF 4-CAPA I KNOW MY VALUE 5-CAPA HISTÓRIA DOS GATOS 6-POSTER RIBS
As estampas mais originais e únicas que já vi, há freses de series, de musicas, ditos populares e livros. Além de desenhos únicos e super divertidos com muito sentido. Há camisetas, papinhas de celular, canecas e almofadas. Como percebe-se, fiquei apaixonada pelas capinhas  

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Viajem a Floripa- Dia 2: Esquenta

Ainda não tinha jantado, pois só começava ás 19h até 22h e sempre íamos todos juntos, pelo menos nos primeiros dias, era meio chato o estomago depois de um tempo ganhava voz e independente do gosto era comida. Como tínhamos balada era muito bom comer bem, nunca comi tanto na vida, 2 pratos por dia + sobremesa.

Toda a turma estava no quarto 122, o quarto das garotas e o quarto cede da viajem. Estava tocando funk, na caixa de som trazida pelo Pedro e comandada pelo DJ Lucas, Lorrana dançava e as vezes a Mayara e a Giovanna entravam na coreografia ou ficavam na varanda. Bia ficava com a Malu, a Petra, Marcello, Lucas e Pedro ficavam na varanda enquanto eu revisava entre conversar, dançar e celular até chegar as meninas.

Após terminar a partida de vólei de praia, durante a conversa convidamos o pessoal para o esquenta mais tarde, foram a Gabi, Luana, Ana, Mariana, Giovanna e Julia. Além de haver um grupo do Oceania do WhatsApp montado antes da viajem, que serviu para compartilhar fotos, experiencias e esquentas pelo hotel.

No momento que elas chegaram o esquenta ficou mais quente e alegre, desde aquele momento e a nossa primeira conversa foi o inicio de uma bela amizade. Escrevendo esta matéria doe um pouco o coração de saudades daquele dia, das nossas conversas, jantares e momentos incríveis nas baladas. Cada uma tem o seu jeito encantador, alegre e divertido. Luana quem gostava de curtir a noite toda na balada, mas se uma amiga precisa-se acabava a noite; Ana a maluquinha, disponjada, alegre e autentica a Bahia ficara mais alegre com sua presença; Giovanna uma japa muito fofa, alegre e ajuda quem precisar de ajuda com um ombro ou dizendo para se acalmar; Gabi não sei o que dizer, um pouco quieta, com um enorme coração e desejo de experimentar a vida; Julia não tive tanto contato mais era uma garota bacana e curtia tudo e Mariana doce e fofa demais arrasava na pista. Saudades, pena que são de tão longe, ainda sonho em encontra-las com toda a turma + Gabi, Ana e Masotinha. Quem sabe ainda teremos esta oportunidade dos sonhos.

Conversamos quando entraram e se dispersaram pelo quarto conversando com todos e curtindo a festa. Entraram mais algumas pessoas e depois ficamos curtindo. Quando foram 19h, começou a dispersar o ultimo grupo que havia chegado, a festa estava boa mais o estomago de todos começou a entrar em sintonia. Porém na regra de todos irem juntos, ainda havia gente que não tinha tomado banho e durou até ás 20h30. Um belo inicio para uma noite incriável.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Resenha: Estrelas além do tempo, estrelas dos nossos corações


Uma época machista, racista, de segregação racial e autoritária em plena Guerra Fria, onde os Estados Unidos estava em corrida com a União Soviética. Os negros eram separados dos brancos em todos os lugares e eram proibidos de fazerem muitas coisas por conta do preconceito. Quem distinguiu que um é melhor que o outro ? Ter preconceito faz você ser Deus ? NÃO!

Grandes mulheres inteligentíssimas escolheram crescer no lugar mais machista e preconceituoso, a NASA, Katherine Johnson (Taraji P. Henson) uma maquina de calcular, Dorothy Vaughn (Octavia Spencer) conhece tudo de mecânica e Mary Jackson (Janelle Monáe) primeira engenheira mulher e negra da NASA. Cada uma ensinou a todos lições de igualdade e mudou a linha de pensamento de homens antiquados. Olhando hoje não conseguimos intender como estas mulheres não acabaram no alto escalão da NASA, as pessoas são influenciadas a pensar de certa forma até começarem a pensar diferente.

Katherine era viuvá, com 3 filhas e um dom para calculo rápido. Chegou para trabalhar em uma sala cheia de homens brancos, que dava relatórios censurados, seu café era servido separado e o banheiro para negros ficaram a 40 min do escritório que trabalhava. Como ela mudou tudo, ajudou o homem a chegar a lua e recebeu uma medalha presidencial aos 95 anos, como ? Nunca abaixou a cabeça, gentileza e inteligencia.

Dorothy era casada, com 2 filhos e espirito de liderança com dons para mecânica. Sonhava com uma promoção, mas só recebia não, até ela ligar sozinha e ser uma especialista na maquina que NENHUM HOMEM DA NASA SABIA MEXER.

Mary tinha autoestima elevada, um marido machista e 2 filhos. Sonhava por torna-se engenheira, como ela disse "um homem branco não deseja ser engenheiro, torna-se engenheiro", mas tinha o dom e não desistiu até tornar-se a primeira engenheira mulher e negra da NASA. Mary faz um discurso emocionante no filme sobre ser o primeiro e como aquilo abre portas.

Admiração e uma lição de vida, este filme mostra uma realidade oculta que poucos sabiam e por conta do livro de Margot Lee Shetterly começaram a conhecer.

A mensagem deste filme esta tão atual que mesmo tendo acontecido em 1961, ainda não acabamos com o preconceito. Se olharmos a quantidade de negros nas universidades ainda são tão poucos, mais ou menos entre 10 só 3 são negros, sem calcular quantos são negros e mulheres. Ainda vivemos em uma sociedade de raça e gênero, mas a nossa geração ainda tem a chance de ver uma ideia de igualdade.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Viajem a Floripa- Dia 2: Praia

A Petra decidiu passar o dia no hotel, não estava se sentindo muito bem , achei melhor não insistir e a deixei dormir a vontade. O pessoal estava um pouco dividido naquele dia, havíamos combinado de todos se encontrarem para almoçar, os meninos haviam descoberto um lugar onde iria nos levar.

O sentimento de turma e união estava muito bonito, decide apoiar a decisão de grupo. Os meninos e a Petra fiaram no hotel, fui com a Giovanna, Mayara, Malu, Lorrana e Bia para a praia. A partir deste dia até sexta, o céu ficou nublado, então não vou dizer que o dia estava lindo, só agradável.

 A Mayara, Giovanna e Malu foram na frente e fiquei conversando atras com a Lorrana e a Bia, de repente dois homens, um com um livro de desenhos e outro com aqueles tubos finos de tinta de criança com tinta preta, mas havia tinta de henna, nos pararam para vender tatuagem de henna. Naquela hora percebi que deveria ter trazido a tatuagem que queria fazer, era um lobo no qual estava louca para tatuar de verdade. A Lorrana incorporou a mulher de negócios e começou a negociar, R$15 pela tatuagem, a Bia entrou na negociata e disse: R$30 se também fizer a mesma tatuagem no meu absomem direito. Lorrana continuou barganhando e mais R$ 5 por uma tatuagem de ondas. Os homens saíram com R$35, desenhando nas costas e abdome #MelhorViajemFloripa e um desenho de ondas um pouco a baixo da barriga. As meninas falaram que estavam sem dinheiro, disseram para eles irem buscar mais tarde no hotel.

Deixamos as coisas com o pessoal que estava sentado na areia. Eu, Lorrana e Bia fomos para o mar novamente, as meninas foram para o fundo e iniciou o mesmo dilema do dia anterior de ir ou não ir até o resultado de ficar parada no mesmo lugar. Depois de um tempo voltei para a areia, as meninas que estavam sentadas foram curtir o mar, enquanto aproveitei para fazer um castelo na areia. Cavei um circulo onde no meio ficaria o castelo e comecei a moldar. Resultado: uma bola com chifres, uma caquinha e uma tentativa frustante.Pelo menos não se pode dizer que não houve nenhum castelo na viajem.

As meninas voltaram depois de um longo tempo, decidimos voltar para o hotel e ficar no quarto cede da nossa turma, o 122. O que acontecia naquele quarto será pouco mencionado no diário, pois só quem viver todos os dias naquele quarto sabe as historias...

Após algum tempo, a recepção ligou avisando haver 2 homens esperando no portão do hotel sobre a henna. Naquele momento decidimos que iriamos voltar para a praia depois de pagar e pedir para retocar. Sinceramente aqueles tatuadores fizeram um trabalho meio de serviço de porco, a tinta estava fraca demais e mesmo retocando quando voltamos já estava quase saindo. O moço que vendia o trabalho de henna repetia para mim: porque não trouxe o desenho do lobinho, queria tanto fazer este lobinho. Não disse na cara dele, mas só pensava: hehe nem a pau querido, contigo não.

Fomos para a praia, mas já era tarde, devia se passar das 14hs e já estava muito mal humorada de fome. Os meninos disseram que nos encontraria na praia daqui a pouco, só chegaram passando da 16h. As meninas sentaram, deixei as minhas coisas e resolvi comer em algum lugar da praia, precisava comer se não iria matar alguém. Pela agressividade que estava pelo assunto elas nem discutiram e falaram para eu ir comer mesmo.

Caminhei pela areia quente, os pés não aguentaram mais o calor quando cheguei no primeiro restaurante,  um lugar agradável, rustico, todo de madeira e com vários itens de pesca. O cardápio: só mariscos, tchauzinho. Voltei a andar pela areia quente até parar no Bar do Alemão, eureca havia um bar com o mesmo nome na Vila Madalena, foi onde almocei a comida com tanta pressa e fome. A unica coisa que lembro daquele lugar, era o forno a lenha no canto e o recepcionista dono do lugar, era muito lindo, moreno com olhos azuis, com barba e... havia uma menina com uma boia correndo para todos os cantos do lugar... era a filha dele. Realmente olhar não tira casquinha.

A areia não estava mais tão quente e voltei para onde estava as meninas. Estavam de baixo de um guarda sol com a Nesquik, a maioria das meninas estava no circulo atras do guarda sol jogando vólei com o pessoal do mesmo hotel. Entrei na partida. Um menino muito magrinho e cabelo claro iniciava na maioria das vezes e fazia a contagem. Da vamos risada com as caídas tentando pegar a bolo, as vezes que quase passamos do nosso record e outras eventualidades. A Mascotinha e o PG estavam andando na praia e ficaram assistindo a jogada de vólei. Todos pediram para ambos entrarem na partida, houve resistência, mas acabaram tendo que ceder. Uma garota ficou no meio para pegar a bola e só assim conseguimos quebrar o recorde. Quando eles saíram acabou o jogo, começamos a conversar e conhecemos mulheres incríveis das quais ficamos todos amigos durante toda a viajem. Até hoje conversamos e temos um grupo de conversa.

Enquanto estávamos conversando os meninos chegaram e chamaram as meninas para almoçar. Voltei para o hotel com o pessoal e os monitores. A festa daquele dia era a mais esperada para mim e a favorita. Havia projetado para aguentar até o final e estar totalmente descansada. Voltei para o quarto e encontrei a Petra na cama no celular.

A Petra foi a minha primeira amiga quando entrei na escola, conversávamos bastante todos os dias, uma mulher com bom gosto para tudo e sempre tem algo para complementar. Desde o ano passado dava carona para ela nas quartas e começou a ser todos os dias. Desde a mudança de lugar da escola, ela não pegava mais carona e perdemos o contato até aquela viajem. Ficamos varios momentos sozinhas no quarto e colocamos todo o papo em dia. Sinto saudades das nossas conversas no quarto, este foi o ponto estranho quando voltei da viajem, não ter mais a Pepe cantando (ela canta muito bem) e as nossas conversas.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...