quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Viajem para Floripa- Dia 1: Devassa


Mulheres adoram ficar horas se arrumando até ficarem perfeitas, não sei como conseguem. Separo a roupa, deixo no canto, tiro um cochilo e só faço algo para ficar bonita 30 minutos antes sobrando tempo para conversar. A tonta no primeiro dia foi de salto para um bar, o pé doeu muito no dia seguinte e depois só tênis.

Pedro trouxe a caixa de som para a churrasqueira na frente da piscina e colocou musicas para dançar pre-Devassa. A Mascotinha, a monitora mais fofa, amiga, divertida e cheia de atitude, dançava até o chão com o PG (Puto gostoso ou Gabriel Guerra) . O nome dela é Bruna, Mascotinha é por conta do tamanho e dá uma vontade de coloca-la no potinho para leva-la em todo lugar com você. Voltando a narrativa, todos estavam guardando energia para a noite e só os 2 estavam dançando, mas tentaram bastante fazer o pessoal dançar.

As 22h, todos que iriam na balada estavam na piscina, o Pedro guardou a caixa de som e formou-se uma grande fila para passar pelo palme do Boca e entrar no ônibus. Eramos os últimos da fila, sabem qual o bom de ficar por ultimo? O ônibus ficou todinho para a nossa turma mais o Boca e a Mascotinha. Estávamos no auge, tocamos funk, conversamos muito e fizemos a maior festa no ônibus. A Mascotinha escrevia no braço 'Real Oficial', na sua filosofia nos eramos de verdade e cada um tinha o seu jeito, nada dá para copiar, pedi para a Malu escrever no meu braço 'Real Oficial', a primeira discípula de sua filosofia e até o final da viajem varias meninas também escreveram no braço. Ao chegarmos no meio de Florianópolis nos depararmos a uma casa toda de vidro, como do Big Brother com a placa Devassa em cima.

Entramos pela porta dos fundos, o moço pegou o ingresso e colocou uma pulseira azul no nosso pulso e entramos. Estava totalmente lotado, não dava para andar, não dava para respirar direito e não dava para encontrar ninguém. A Devassa é aberta para o publico mais os passageiros da Forma.

O lugar era grande, havia um espaço com meses para sentar, outro para pagamento e outro onde tinha o show e comprava bebida. O lugar do show tinha um palco na frente, na direita uma área de camarote com cadeiras estufadas, na esquerda o bar, varias mesas altas espalhadas e vários garçons andando para um lado ao outro com baldes de cerveja. Ao entrar fiquei totalmente inerte, até a Bia conseguir me encontrar e chamar-me para ficar com o grupo. Ficamos amassados, sem conseguir nos mexer, só curtindo a noite juntos. O cantor era tão bonito e cantava tão bem, não gosto de sertanejo, mas aquele cantor fazia querer ficar esmagada para dançar.

Começamos a passar mal e saímos da pista de dança para a área das mesas. Conversamos e tiramos fotos com a Maristela ,Pastilha e a Nesquik. Conheci a bastilha na escada, ela escava mascando um chiclete e perguntei sobre o motivo do apelido, porque perguntei, ela gostava de bastilha por isso kkk. Voltando onde estava, conversamos por um tempo até tocar uma musica que a Bia, Mayara e a Lorrana gostavam, uma puxou a outra para a pista de dança e acabei indo junto. O cantor gato tirava uma pausa, tocava um DJ e depois ele voltava. Dançamos juntas, decidir beber e ir até o bar pedir uma caipirinha. Acabei tendo um caso de epifania com a caipirinha, vodka, morango e picolé de uva, a melhor caipirinha que já tomei, o picolé estava com gosto da vodka e comecei a imaginar uma cena na praia com a caipirinha e outras cenas. Vivi aquele caso de amor por 10 minutos e voltei para a pisca de dança para dançar com elas. Um tempo depois do cantor voltar, elas decidiram sair da pista, mas estava tão legal que fiquei dançando e ouvindo aquele gato cantor. Houve uma hora que dancei com a Macotinha também.

Começou a tocar uma musica de forro e deu uma vontade enorme de dançar com alguém aquela musica. Na minha frente, havia uma loira de cabelo curto, botas, usando um vestido verde e com a amiga que também estava vestida no clima de rodeio se não engano estava usando algo com franjas. Criei coragem e chamei a loira para dançar um forro comigo rapidinho. Ficou um minuto pensando e aceitou, fiquei tão feliz, naquele momento conheci 2 amigas que ficamos juntas durante todos os passeios da viajem. Naquela semana, foi a melhor decisão que tomei, nunca tenham medo de fazer vontades as vezes temos a oportunidade de conhecer pessoas incríveis.

Após a dança, conversamos, a loira é a Ana e a morena a Gabi, uma pena que estavam no Qualite, dançamos juntas até o cantor se despedir e tocar funk. Após um tempo, a Bia disse que estava me procurando e iriamos embora. Disse tchau a elas e fui pagar a conta para pegarmos o ônibus da Forma. Era mais ou menos 1h, havia uma pequena fila de pessoas, o moço disse que sobrava 2 vagas no ônibus se algum de nos aceitaria. Naquele momento respondemos: vamos todos juntos. Houve um sentimento multou de união e felicidade em cada um. Esperamos por meia hora por outro ônibus, enquanto ouvimos as melhores musicas tocarem, surgiu um pequeno arrependimento, mas passou quando entramos no ônibus e fizemos outra festinha. Naquela volta, sentei no lado do Pedro e conversamos. Aquela noite foi o inicio de uma grande semana e lembramos daquela noite todos os sábados de outubro.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Resposta ao futuro da educação pode vim de Cingapura?


Um assunto que tenho grande interessa é na área de jornalismo de educação, estudando e lendo muito sobre o assunto tentando acompanhar o desenvolvimento e ver como o Brasil tem grandes chances de crescer se aplicasse os métodos inovadores desenvolvidos internacionalmente. Há projetos incríveis feitos nas escolas públicas e particulares que não são muito divulgados. As vezes a escola acaba não podendo aplicar certas atividades pelo currículo escolar a ser cumprido e no final não se consegue concluir tudo.

Na entrevista com Lee Sing Kong de 65 anos, que liderou mudanças na formação de professores em Cingapura com a jornalista Renata Cafardo, na Folha de S.Paulo. Lee contou como o país ex-colônia britânica conseguiu passar a China e Finlândia, no ranking internacional do Pisa. Brasil se encontra na posição 60, sendo avaliado 75 países, através das áreas de leitura, matemática e ciências no critério de pensamento critico, imaginação e criatividade.

Desde 2009, Lee ajudou a desenvolver um novo sistema educacional, conta: "Formamos um thinking teacher (professor pensador), que sabe como se adaptar, inovar e reconfigurar a sala de aula. Ele precisa escolher o melhor jeito de ensinar cada assunto" sendo um "modelo de formação de professores para o século 21" através das ferramentas de colaboração, empreendedorismo, pensamento crítico, comunicação. Neste modelo o aluno pesquisa antes da aula o conteúdo e faz perguntas difíceis ao profissional desenvolvendo a capacidade critica e o interesse de conhecimento de ambos os lados. Passando o aluno para o modo ativo da educação e o professor o facilitador.

Em Cingapura um professor ganha o mesmo salario que um engenheiro. Deste jeito o profissional tem mais tempo de preparar a aula não precisando trabalhar mais de uma escola e investe no aprimoramento pessoal de educador. Na Finlândia, com resultados impressionantes no desenvolvimento da educação e um dos melhores sistemas de aprendizagem, começou valorizando o profissional através do salario. No Brasil, um professor ganha dependendo da quantidade de aulas, mas segundo a professora Amanda Gurgel ganha R$930,00 por mês para "salvar o Brasil".

Lee explica que o mesmo sistema educacional não funcionaria, pois cada país tem uma cultura diferente. Cingapura tem 5,5 milhões de habitantes, as 369 escolas atendem 450 mil estudantes, metade da rede municipal de ensino de São Paulo. Explicando que pelo grande tamanho do Brasil realmente não funcionaria, mas poderíamos tentar aplicar um método parecido através da experiencia de outro país.

Apesar do país viver uma certa centura na justificativa de manter a paz e harmonia, Lee afirma a não negligencia no desenvolvimento do pensamento critico por "muita crítica ao governo no Facebook e o governo desliga o Facebook? Não. Os estudantes precisam saber como o mundo está se desenvolvendo e como eles vão se posicionar para se adaptar ao mundo."

Nosso caro Brasil ainda esta caminhando no desenvolvimento da educação e na procura por informação que esta na palma do povo. Esta geração tem procurado melhorar o conhecimento de política, ao invés de negligenciar quem já negligencia a seculos (governo)

Leiam a entrevista completa aqui

*Amanda Gurgel- professora de Natal, RN, falou em uma assembleia sobre o aumento do salario dos políticos da sua região. Vejam um vídeo inspirador da professora contando como é a rotina do professor e o absurdo da convocação daquela assembleia

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Não há fim para as teorias da Pixar


Há muitos estudiosos que elaboram varias teorias entre relações dos filmes da Pixar, em tempos e tempos a própria publica videos de algumas teorias, mas sempre deixando um ar de mistério e demonstrando que nunca vão acabar. Assim esperamos.

Entre os filmes há personagens e cenários que se interligam. O jornalista Jon Negroni produziu uma teoria mega complexa da interligação entre todos os filmes em um mesmo plano, quer dizer acontecendo ao mesmo tempo. Jon produziu um livro, clique aqui para ler. Quando foi publicado a teoria o Canal Nostalgia explicou toda a teoria através deste vídeo:


Apesar de sempre querer fazer este post, a Pixar publicou esta semana uma atualização das teorias na pagina do Facebook:


Há uma teoria faz um tempo, que os pais de Anna e Elsa de Frozen atracaram em uma ilha e o Tarzan é irmão delas. Fica por titulo de curiosidade, pois o Tarzan é filho de uma família da corte britânica, não do rei e da rainha. Além de Tarzan não ser um filme da Pixar, mas da Disney. Não enlouqueça com estas teorias, pois sempre haverá mais

Viagem para Floripa- Dia 1: Cartografando


O ônibus após deixar o pessoal no Qualite entrou no Oceania dando uma longa ré até conseguirmos ver azulejos de golfinho e um prédio com varandas azuis. Ao parar, havia um monitor com bigode bem arrumado, jurava que o apelido seria Mario Bros (era Uber), e um gatinho com cabelo raspado do lado e óculos escuros (PG- puto gostoso kk)

Eram umas 11hs, já havia acabado o café da manha e não conseguimos prolonga-lo. Estávamos morrendo de fome. A nossa turma foi a primeira a entrar no hotel todos juntos e sentamos na sala para a reunião de chegada. Aos poucos outros foram chegando e sentando. Restava decidir uma coisa... quais baladas nos iriamos? Ficamos antes da reunião e quando acabou conversando e decidindo. No final cada um escolheu as que queria, mas ninguém foi no Café de la Music.

Chegaram todos os monitores na frente para as apresentações e iniciar todas as regras. Tópicos:

1- Caso sujar o lençol terá que pagar o conjunto inteiro- R$150 (ABSURDO!)
2- Todos são grandinhos e sabem seus limites, caso fique bêbado ouvira sermão
3- Verificar se há algo faltando ou quebrado no quarto ao entrarmos, se não notificarmos teremos que pagar... muitoooo caro
4- No ultimo dia terá que devolver os cartões, caso perder terá que pagar R$5 (quando fui no Adventure o custo era R$150, grudei no cartão durante 4 dias, achava estar carregando ouro)
5- Não tirar a pulseira, será o controle da viagem e passara pelo Palme do Boca (Boca porque era o monitor responsável)
5- Se descumprir as regras e fizer uma grande besteira ou for pego com drogas voltara para casa

Como consegue se lembrar de tantas regras? Gosto de sabe-las para descumpri-las moderadamente, durante o diário percebera que descumpri a 2, 4 e quase a 1.

Após a reunião pagamos as festas que iriamos, caso não fosse receberíamos o reembolso no dia seguinte a partir de segunda. Escolhi a Devassa, Terraza (fantasia, já inclusa), Le Barbarron (já inclusa), Life White Party (branco, já inclusa), Milk (amo eletrônica), P12 (já inclusa), Pacha e Red Side (já inclusa). Havia as festas do contrato (P12 e Life White Party) e as 3 festas que ganhei pela data que fechei (Terraza, Le Barbarron e Red Side). Não havia pensando na Milk, mas depois de contarem que era só de eletrônica, um ingresso em Floripa era R$350 e havia vacas de ouro... #PARTIU. Confesso só queria ver as vacas de ouro. Única festa que foi todo mundo foi a Devassa.

As minhas colegas de quarta eram a Petra e a Bia. Antes de pegarmos o cartão, a Petra conversou comigo sobre bagunça, ela é Ariana e eu Virginiana, ela gosta de bagunça e eu gosto de tudo certinho. A Pé só faz bagunça no canto dela e não queria ninguém arrumando, melhor impossível, não estava afim de ser a chata e não gosto de ver calcinha espalhada.

As meninas ficaram no quarto 122, os meninos no 123 e nos no 202. O quarto era enorme, cabia toda a turma e sobrava espaço, perfeito, nada errado, só a TV que só começou a funcionar a partir de quarta graças a Bia que chamou o técnico (era só conectar o fio... sem palavras). Só colocamos um biquíni e dinheiro para comer.

Bia juntos as camas dela e da Pé, era um costume das 2 ficarem juntas e já haviam feito aquilo no Med. Enquanto nos arrumávamos, Bia disse: 'enquanto o avião estava saindo do chão fiquei escutando "Alma de Pipa voada"', as 2 começaram a conversar sobre a letra e desde aquele momento Pedra cantava aquela musica todos os dias da viajem. Até hoje ainda fico com aquela musica na cabeça e quando escuto lembro dela cantando durante aquela semana.

Descemos as escadas, batemos na porta dos meninos e fomos ao 122. Sabe alguém com muita fome que começa a ficar irritadamente chata sem comida, exemplo eu naquele momento. Percebi que o pessoal era muito virginiana, havíamos chegado e estavam arrumando a mala inteira no armário. Estava começando a pirar depois de alguém tempo desci para pegar a senha do wi-fi. Passou-se um tempo, nada de alguém descer, até voltar ao quarto, ver os meninos jogados na cama e combinarmos de quem já estava pronto ir ao portão. Todo mundo estava morto de fome. Deu certo, 5 minutos depois vimos quem sobrava descendo as escadas do hotel com o Uber que também estava morrendo de fome.

Esqueci de dizer, era autorizado circular em qualquer lugar até as 18h, quando o portão fechava. No caminho, perguntamos a origem do apelido de Uber, por que tinha 25 anos, não sabia dirigir ainda e adorava usar Uber. Original e ótima justificativa.

Fomos a 2 mercados da região, o primeiro não tinha nada, o segundo tinha tudo e dava para comprar bebida sem RG. Também não contei, era a unica de 18 anos e disse antes da viagem que não compraria bebida para menor. Adiantou para alguma coisa a consciência? Todo mundo dos 2 hotéis comprava bebida e comida aquele mercado, devem lucrar muito nestas épocas do ano. O nosso almoço foi sanduíche e depois fomos a praia na frente do hotel.

O chão da rua era todo de tijolos de pedra, a praia ficava no quarteirão seguinte no beco. Na entrada tínhamos que tomar cuidado com as pedras soltas. A areia era tão fina, macia e fria, fazia muito tempo que não encostava o pé na areia, era tão maravilhoso e ver o mar na sua frente. Naquele momento agradeci só por estar ali. Dava um passo de cada vez, fazendo a areia ficar grudada no meu pé. Os meninos, a Mayara, Malu e a Petra ficaram sentados na areia enquanto eu, a Lorrana e a Bia fomos para o mar. Elas andaram para o fundo sem medo algum, mas continuei na borda olhando as duas de mãe dadas pulando as ondinhas. A minha mãe dizia, quando se entra no mar peça permissão, nunca se sabe o que pode acontecer, não ocorreu nada, mas o mar estava brava (todos os dias foram assim) e conseguia ouvi-lo dizer no meu ouvido com uma voz roca "não entre". Resolvi dar mais alguns passos até o joelho e vendo-as de longe. O vento soprava no rosto, com um ar tão puro e salgado do mar, as ondas bravas esbarravam no joelho cada vez mais bravas conseguindo puxar-me para trás, lutava para continuar no lugar onde estava e comecei a sorrir pulando as ondas que vinham e nadando cachorrinho em outras.

As meninas pareciam paisagem de tão longe e chamavam-me para ficar ao lado delas. Queria muito, mas olhava o mar e ouvia-lo falando no meu ouvindo. Resolvi ficar onde estava, olhando-as de mão dadas ou dançando e cantando ou escolhendo uma onda bem grande para nadar por dentro. Tão vivas e tão jovens. Gostaria de parar naquele momento.


Sentei na areia e comecei a brincar com a areia molhada nas mãos. Realmente voltei a infância por alguns minutos. Escrevi Floripa na areia para tirar foto, mas o Lucas havia feito uma tag bem grande. Vi as meninas voltarem para a areia e voltamos para o hotel.

O pessoal foi para o quarto e fiquei um pouco naquela piscina super gelada com a Bia e a Lorrana. Não sei como conseguiram atravessar a piscina gelada, fiquei na borda só com os pés. Uber sentou na cadeira e nos três ficamos conversando. Contou que sempre faz viagens com o 3 EM, pois adora a maturidade, mas havia a oportunidade de ir no Med no outro mês. Ficamos um pouco e subimos para o quarto.

Sobre desobedecer um dos itens... estava usando um pano vermelho na cabeça, acabou molhando, coloquei no lençol e um pouco do corante foi para o branco. Fiquei desesperada, não tinha como pagar R$150 naquilo, mas a sorte foi: a moça não percebeu, levou o lençol e não paguei nada.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Viagem para Floripa- Dia 1: Embarque

A partir deste port será narrado cada dia e momentos da viajem do dia 1 á 8 de outubro de 2016. A viagem ocorreu com a Forma Turismo e 10 amigos/colegas da escola, onde conhecemos meninas incríveis, curtimos festas todos os dias e vivemos fortes emoções. Caso for viajar para Floripa acompanhe este diário:

Não consegui dormir, tínhamos que estar 3 horas da manha no aeroporto para check in. Estava quase tendo um treco no carro quando eram 4 horas da manha e ainda só estávamos perto. Quando cheguei, avistei a Bia e dei aquele abraço apertado(quase matei a garota antes da viagem) e depois cumprimentei a mãe e o namorado dela, depois o Pedro, a mãe e o irmão dele. Estavam tomando um café esperando o resto do pessoal.

Fiz o check in, recebendo a pulseira preta representando o hotel onde iria ficar. Resolvi tomar um Starbucks com os meus pais e encontrei no caminho Mayara e Giovanna (quase matei as duas também). Estavam correndo para o check in, só deu para dar um abraço e informar que a pulseira era preta.

As 6hs, havia varias mochilas amarelas entrando para a sala de espera, sorte que o pessoal estava vindo no final do corredor. Ao subir a escada rolante e tirarmos as fotos, conhecemos a Melody, não que ela se parecesse com a menina dos falsetes aliais odiava o apelido, mas acabou ficando. A encontramos um mês depois buscando os alunos para a viagem do Adventure, ninguém entendeu nada quando fizemos um montinho encima dela.

A nossa turma ficou sentada na frente do embarque junto com a Melody. A mala era tão grande e ela tão pequena que parecia o filme "Vida de Inseto", não fui eu quem fiz a referencia, uma pena que ela não ficou no nosso hotel. Depois apareceu o Boca com seu gingado, o chefão do Oceania (nosso hotel). Nos conversamos por um tempão até o embarque. Durante a conversa, concluímos que poucos de nos sabiam cozinhar, não lembro quem contou, mas uma vez foi fazer um jantar para a namorada, queimou tudo e pediram comida japonesa.

Não resisti, vi de longe uma estante cheia de bichinhos com olhões e fiquei apaixonada, o Lucas e o Marcello também adoraram e cada um comprou uma tartaruga rosa para as namoradas. Não resisti e comprei um lobinho de olhão rosa. É TÃO FOFINHO!! Os R$34 não foi nada fofo, mas valeu a pena. O pessoal ficou plasmo com algo tão miúdo custar tão caro, a Mayara acabou se apaixonando com a fofura.

Eram 7hs, as mochilas amarelas se organizaram e fomos para a fila. O azar foi o local do meu assento longe dos colegas, mas fiquei atras da Melody que não adiantou nada, pois não dava para ouvir nada pela alta altitude. Porque não trocou de lugar? Havia outras meninas com ela, eu queria mesmo era uma conversa em quarteto, não da para querer tudo. Passei 1h comendo comida do avião e pensando na viajem. Parecia que não passava, quando estamos com nos mesmos o tempo para.

Na janela aos poucos diminuía as nuvens e aparecia algo verde, nos aproximamos da ilha até aterrizarmos. Chegamos, pegamos as malas e dizemos tchau ou até breve para a Melody. Deixamos as malas encostadas e subimos eu, a Mayara e a Lorrana para o andar de cima do ônibus. O pessoal de outra escola tocou só funk, dos mais baixos e dançaram no meio do ônibus. Ignorei e olhava a paisagem, perto do aeroporto havia uma praia linda e limpa com prédios na frente, a paisagem se parecia com Santos tirando a parte dos prédios tombados kk. A Bia subiu e nos chamou para baixo, estava todo o pessoal embaixo, eram menos cadeiras e só cabia nos. Pura animação e prontos para aquela semana dos sonhos.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Playlist: Uma viajem para a ilha das flores 2016


Foram 7 dias de muita alegria, chuva (pena) , amigos, diversão e principalmente as melhores baladas da vida de qualquer pessoa. Havia festas que tocavam de tudo, outras só eletrônico, sertanejo ou funk. Além dos esquentas dos quartos e as musicas pré-baladas nos ônibus. Se algum dia já tive algum tipo de gosto musical acabou com aquelas 6 noites de funk e aquela musica do 50 reais que não sai da cabeça até hoje. Viajem de formatura acaba com a playlist de qualquer um kk

A facha 13 da playlist, é uma musica que todos os monitores da forma saber dançar e estou louca por esta musica deste a viajem do 9 ano. Serio esta musica é muito difícil de achar. A facha 14 não tocou em nenhuma festa, mas foi especial, acabei só decorando a letra no ultimo dia, as minhas parceiras de quarto, em especial a Pepe, cantava muito bem esta letra. Ouçam a baixo e sintam um pouco de Floripa:


1- Kungs vs Cookin' on 3 Burners - This Girl
2- Alok e Sevenn- Byob
3- MC Nandinho e MC Nego Bam - Malandramente
4- Drake - One Dance
5- Nego do Borel- Não Me deixe Sozinho
6- MC Livinho- Cheia de Marra
7- MC's Zaac e Jery- Bumbum Granada
8- R7- Tropa do R7
9- J. Balvin e Anitta - Ginza
10- Galantis - Runaway
11- Silento- Watch Me
12- MC Kekel- Partiu
13- Daler Mehndi- Tunak Tunak Tun
14- Tribo da Periferia- Alma de pipa
15- Naiara Azevedo Ft. Maiara e Maraisa - 50 Reais
16- MC Kevinho - Tumbalatum
17- MC MM - Adestrador de Cadela
18- The Chainsmokers - Closer
19- Jonathan da Nova Geração
20- MC Davi - 5 Metas
21- MC PIKENO E MENOR - AMIGA PARCEIRA SÓ SE FOR AMIGA SOLTEIRA
22- MC MM - Louco de Selvagem
23- MC Livinho - Tenebrosa
24- Dennis - Vamos Beber - Feat. João Lucas & Marcelo e Ronaldinho Gaúcho
25- Dennis - Soltinha - Feat. Mc Bola e Mr Catra
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...